Mesmo dispondo de três modelos de salas equipadas para videoconferência, incluindo telepresença, empresa investe em novas tecnologias para obter conexão global

Uma indústria, cliente da Nap IT, investiu em um projeto de integração de novas tecnologias para a infraestrutura de seus sistemas de videoconferência. O objetivo foi melhorar o desempenho globalmente e também disponibilizar novos recursos para os colaboradores participarem de reuniões a distância, como telepresença, inclusive por meio de seus dispositivos móveis.

Para começar esse desafio, uma empresa que quer implementar um sistema de videoconferência – seja o mais simples ou o mais arrojado -, deve cumprir alguns pré-requisitos para essa integração. Primeiramente, nesse caso, foi analisado o dimensionamento do ambiente e a qualidade da infraestrutura para suportar as novas tecnologias. Esses são fatores essenciais para o sucesso das reuniões a distância, que permitem mais agilidade nos negócios da empresa.

Primeiros passos para a modernização da telepresença

Após o diagnóstico da necessidade e da infraestrutura da Indústria, a Nap IT atuou na migração dos sistemas de telefonia analógicos para IP, adequação necessária para comportar a integração em todas as unidades da empresa.

Além disso, utilizou a tecnologia Jabber Vídeo, o software phone da Cisco, para realizar a integração dos sistemas de telefonia IP aos equipamentos móveis como notebook, tablet e smartphone. O Jabber unifica a comunicação, como mensagens instantâneas de voz e vídeo, conferências e compartilhamento de documentos nos dispositivos móveis.

Essas tecnologias foram integradas em diferentes ambientes, permitindo três modelos distintos de uso – o da salas imersivas, das salas simples e dos sistemas configurados nos desktops de alguns executivos.

Saiba como ficaram dispostas as tecnologias de videoconferência

Salas imersivas

As salas imersivas estão espalhadas por diversos países em que a empresa atua, e permite reuniões entre as diretorias com recursos de telepresença. Esse tipo de sala exige uma infraestrutura mais robusta, com isolamento acústico para chegar a um baixo nível de ruído, e iluminação e áudio bem dimensionados.

O ambiente requer alta capacidade tecnológica para suportar todos os sistemas integrados e ainda tem que contar com soluções de segurança, sem perda de desempenho. Cada uma das salas instaladas conta com uma unidade de telepresença e passou pelo processo de adequação necessário para o uso da tecnologia com qualidade de imagem e áudio.

No caso dessa indústria, as soluções foram colocadas em uma rede de comunicação própria, conectadas à rede WAN e atendendo todos os sites mundiais do cliente.

Salas simples

As salas simples são compostas por TVs de 52″ e uma câmera de alta definição, que suportam os sistemas de telepresença. Esse modelo de sala está disponível nas fábricas e escritórios localizados em diferentes estados do Brasil.

Equipamento de mesa (desktop)

Alguns executivos têm em suas mesas equipamentos de videoconferência à disposição, como monitor de 21″ e câmera. Eles podem atender às chamadas de seus notebooks, porém têm a opção de usar o monitor como uma segunda tela.

Benefícios para a corporação

Um dos benefícios que essa integração trouxe aos executivos da empresa foi a mobilidade e conectividade, permitindo que eles realizem reuniões de qualquer lugar, de forma interativa e colaborativa. Essa solução, que simula um ambiente presencial, permite ainda o compartilhamento de documentos de forma integrada, baixo custo de operação e manutenção; redução dos gastos com viagens interestaduais e maior comunicação entre as unidades do cliente.

Gustavo Emerim – Network Engineer – gustavo.emerim@napit.com.br

 

Leia também:

Videoconferência: tecnologia de qualidade reduz custos de deslocamento.